Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai e sereis perdoados; dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também. ”  Lucas 6.37,38

 

O senhor Jesus aqui deixou clara a maneira como Ele nos vê. Se eu julgo, serei julgado. Se não julgo, não serei julgado. Se eu condeno, serei condenado; se eu não condeno, não serei condenado. Se eu perdoo, serei perdoado; se eu não perdoo, não serei perdoado. Em outras palavras, toma lá, dá cá. O que eu der, vou receber.

Se eu sou uma pessoa de caráter, vou ser beneficiado por esse bom caráter. Se eu tenho um mau caráter, serei prejudicado por meu mau caráter. Como sou com os outros, os outros serão comigo. Se eu faço o que agrada ao diabo, dou ao diabo permissão para desgraçar a minha vida. Se eu faço o que agrada a Deus, dou a Deus permissão para me abençoar.

O Senhor Jesus fala em “dar”. Dar. Esse é o segredo nosso de cada dia (PARE DE SOFRER AGORA/DOUGLAS COELHO). É o segredo do nosso trabalho. Estamos preocupados em dar, porque quanto mais damos, mais iremos receber. Como cobrar de Deus mudança em seu casamento se você não tem feito a sua parte? Se você não quer mudar antes que o outro mude? Como quer ser valorizado em seu trabalho se não faz o seu melhor?

Se no trabalho você enrola, nenhuma oração será capaz de beneficiá-lo. Dar o seu melhor faz com que sua oração seja ouvida. Um trabalho feito de qualquer jeito, não dá a você crédito algum para pleitear justiça diante de Deus. Dê e você receberá. Dê o seu melhor e receberá o melhor de Deus. Ele não fica devendo a ninguém. Ele recompensa os que O servem.