O No Haiti o Vodu é chamado de Sèvis Gine (serviço africano). Trata-se de uma religião haitiana com fortes elementos de povos africanos como os igbos, bacongos e iorubás, além de elementos tainos. Formas de vodu haitiano também existem na República Dominicana, em partes de Cuba, nos Estados Unidos e em outros lugares para onde os imigrantes do Haiti tenham se deslocado ao longo da história. Em alguns elementos, principalmente em seus componentes originários, é similar a outras religiões da diáspora africana, tais como a Lukumí, Regla de Ocha ou santería de Cuba e o candomblé e a umbanda do Brasil. A palavra “vodu” vem do vocábulo africano “Dahomey vodun“, que significa “espírito ancestral”.

 

 

Segundo a Wikipedia, o vodu no Haiti e na diáspora haitiana, é o resultado das pressões de muitas culturas e etnicidades diferentes dos povos que foram desarraigados da África e importados à ilha de Hispaniola durante o comércio africano de escravos. Sob a escravidão, a cultura e a religião africanas foram suprimidas, as linhagens foram fragmentadas e as pessoas tiveram que ocultar seu conhecimento religioso. Paradoxalmente, foi justamente essa fragmentação que permitiu a posterior unificação cultural dos escravos.

Para combinar os espíritos de muitas e diferentes nações africanas e indígenas, as partes da liturgia católica romana foram incorporadas para substituir rezas ou elementos perdidos; além disso, as imagens de santos católicos são usadas para representar os vários espíritos ou “misteh” (“mistérios”), e muitos santos mesmos são honrados no vodu haitiano em seu próprio direito. Este sincretismo permite que o vodu haitiano abranja os elementos africano, indígena e europeu de uma maneira inteira e completa. É verdadeiramente “Religião de Kreyòl“.

Ainda que a tendência geral do vodu seja relacionada a suas raízes africanas, não há nenhuma forma fixa, ocorrendo variações em cada casa ou linhagem particular. Os pequenos detalhes do serviço e dos espíritos servidos variarão da casa a casa, e a informação nos livros ou na Internet pode, consequentemente, parecer contraditória.

Não há nenhuma autoridade central no vodu haitiano, já que “cada manbo e houngan é a cabeça de sua própria casa”, como diz um provérbio popular no Haiti. Existem muitas seitas além do Sevi Gine no Haiti, tal como o Makaya, Rara e outras sociedades secretas, cada uma com seu próprio panteão distinto de espíritos.

img_9556

Ritual Vodu na Venezuela

Na Venezuela, o ritual ocorre no estado Yaracuy, onde se trata do Culto de María Lionza – uma espécie de oráculo.

María Lionza é um tipo de divindade para muitos venezuelanos. Ela é objeto de um culto original, o que se traduz na única religião nascida no país.

Na base do movimento religioso, está uma lenda. Existem várias versões, que embora tenha variações, diz que a filha de um conquistador (outras versões a colocam como princesa de uma tribo indígena), era uma menina bonita com olhos verdes que teria sido engolida em um lago por uma cobra sucuri. Mas no lago, o animal estourou, liberando a sua presa. María Lionza é então transformada em água e se torna uma princesa que é rainha da natureza, e passa a viver na floresta, cercada por uma multidão de animais e plantas.
Apesar da história bonitinha, as imagens dos rituais são impressionantes:
venezuela.